sábado, 13 de janeiro de 2018

Memórias de uma Cadelinha VII (A Joia Anal)

Caminhando para mais um domingo à casa de meus parentes, sentindo o sol beijar a pele e uma brisa
furtiva querendo levantar a saia do meu vestido.
Vou tranquilamente pelas ruas, olhando tudo ao meu redor. Mais consciente do meu corpo nesse momento, recebo olhares que no dia a dia são comuns. Olhares de homens que percorrem meu corpo, me tornando ainda mais consciente de mim como fêmea. Alguns desses olhares são mais atrevidos, querem que eu também os perceba (desvio o olhar). Chegam a fazer movimentos de lamber os lábios, me olhando com lascívia. 

Leia na íntegra clicando aqui.

Gentilmente cedido por La Femme

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Memórias de Uma Cadelinha VI (Contrato Verbal)

--- Tuas fantasias são sádicas! Disse ela baixando o olhar.
--- E isto te assusta? Falou ele em com sua voz calma e grave.
--- Pelo contrário. Isto me excita. (Sorriso tímido)
--- Mas sabe que posso vir a te machucar né?
--- Há coisas que não farei. Eu acho! Titubeou.
--- Vencerá seus limites. Sabe disso.
--- E se eu não conseguir?
--- Então, talvez não seja digna! Disse ele num tom um pouco mais grave que o de costume.
--- Ser digna do teu amor e de teus caprichos é tudo o que mais quero.


Leia na íntegra clicando aqui.